ÓVULOS

Após os 35 anos, a qualidade dos óvulos diminui rapidamente, diminuindo as chances da mulher engravidar, seja espontâneamente ou através de tratamento. Com o congelamento de parte de seus óvulos, a mulher tem a oportunidade de gestar com seus óvulos no futuro, inclusive depois dos 40 anos.

Mulheres sem parceiro e casais que desejam engravidar pela primeira vez após os 35 anos encontram na vitrificação de óvulos uma estratégia interessante para planejar e assegurar seu futuro reprodutivo.

Mulheres que serão submetidas a tratamentos com quimio ou rádioterápicos têm na criopreservação uma esperança

A Mater – Medicina Reprodutiva utiliza a mais avançada tecnologia em criopreservação: a Vitrificação.

 

ESPERMATOZOIDES

Os espermatozoides podem ser congelados  para utilização posterior.

A criopreservação de espermatozoides pode ser indicada nos casos de câncer que necessitam de tratamento quimio ou radioterápico, os quais podem prejudicar sua produção.

Nos casos em que não são obtidos espermatozóides através da biópsia testicular, pode ser realizado um ciclo de fertilização in vitro ou de inseminação intra-uterina, utilizando espermatozóides criopreservados de um banco de sêmen.

 

CRIOPRESERVAÇÃO DE EMBRIÕES EXCEDENTES

Os embriões excedentes de um ciclo de fertilização in vitro podem ser criopreservados e utilizados posteriormente pelo casal. Após dois anos, estes embriões podem ser doados a um outro casal ou para estudos na área de células-tronco.