Esta forma especial de Fertilização in vitro (FIV) não utiliza medicamentos para estimular a ovulação, o que diminui o custo do tratamento e a chance de ocorrer complicações, como gestação múltipla e Síndrome de hiperestímulo ovariano (SHO). Em casos selecionados, utiliza-se protocolo de estimulação mínima (pequena dose de hormônios).

O processo de fertilização é realizado com óvulo único e, por isso, transfere-se apenas um embrião.

A FIV em ciclo natural ou com protocolos de estimulação mínima, reduz significativamente a exposição a medicamentos e hormônios, o que contribui para diminuir o estresse emocional, físico e psicológico desses tratamentos. Além disso, a paciente têm recuperação imediata o que, unido ao baixo custo, permite a realização de tratamentos consecutivos, aproximando as possibilidades de sucesso àquelas obtidas em tratamentos de FIV convencionais.

As principais indicações para a FIV em ciclo natural ou minimamente estimulada são pacientes que apresentam resposta ovariana pobre nos estímulos convencionais com altas doses de hormônio ou que, por motivo próprio, não desejam gerar muitos embriões.